Dependência virtual: um olhar fenômeno-estrutural sobre a compulsão digital

  • Marcelo de Souza Gorza
  • Gabriel Becher
Palavras-chave: dependência virtual, internet, fenômeno-estrutural, categorias psicopatológicas

Resumo

A dependência virtual pode ser um fenômeno capaz de denominar uma mutação sociocognitiva contemporânea. Partindo da perspectiva da Psicopatologia Fenomenológica Estrutural e utilizando breve estudo de caso clínico, buscamos analisar como a dependência virtual encontra terreno fértil na estrutura social tecnológica pós-moderna. Trata-se, assim, de estudo qualitativo baseado no método fenomenológico. Para tanto, foram analisadas questões fundamentais como temporalidade, espacialidade, corporeidade e intersubjetividade. Nelas, buscamos expor que subjetividade é sempre intersubjetividade e historicidade. O estudo apontou que fatores sociais relacionados à dependência virtual como isolamento psíquico, individualização competitiva e empobrecimento intersubjetivo podem interferir na estrutura do sujeito, desvelando uma condição de vulnerabilidade existencial e saturação psíquica. A frequência do comportamento compulsivo é importante para o entendimento do caso, mas é a análise fenômeno-estrutural que permite compreender o sofrimento psíquico enquanto vivência de imobilidade em tempos de conectividade. O sofrimento reside menos na frequência e mais no sentido de existência estancada, cristalizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo de Souza Gorza

Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Pós-graduação (lato sensu) em Psicopatologia Fenomenológica pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSC-SP

Gabriel Becher

Psiquiatra e Psicoterapeuta pelo IPq-HCFMUSP e membro da SBPFE

Publicado
2020-05-31
Seção
Artigo