Transtorno obsessivo-compulsivo: da psicopatologia como disciplina científica à psicopatologia fenomenológica

Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo e Carolina Dhein

Ana Maria Lopez Calvo de Feijoo e Carolina Dhein

Transtorno obsessivo-compulsivo: da psicopatologia como disciplina científica à psicopatologia fenomenológica

O objetivo deste estudo consistiu em alcançar as divergências e as convergências de duas perspectivas em psicopatologia: psicopatologia como disciplina científica e psicopatologia fenomenológica. Por meio de um estudo teórico, pretendeu-se esclarecer que o modo como cada uma dessas perspectivas compreende a consciência é que sustenta todo o desenvolvimento de suas teses e práticas em psicopatologia. Para dar concretude ao tema desenvolvido, foram investigados os estudos das duas perspectivas sobre o transtorno obsessivo-compulsivo. Enquanto a psicopatologia, como disciplina científica, toma a consciência em sua substancialidade e, consequentemente, atém-se à sintomatologia para realizar o diagnóstico conclusivo, a psicopatologia fenomenológica sustenta a consciência em seu fluxo espaço-temporal e atém-se à vivência do espaço e tempo. Concluímos que ambas, embora se diferenciem no modo como entendem a consciência, têm em comum a desconsideração do horizonte histórico de constituição de sentidos. Com este estudo, acreditamos contribuir para a ampliação das teorias e práticas em psicopatologia.

Palavras-chave: Psicopatologia; Disciplina científica; Fenomenologia; Transtorno obsessivo-compulsivo; Consciência

Fonte: Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, 2017;6(1):52-71.

[PDF]