Temporalidade, Uso de drogas e Fenomenologia

Marcelo Sodelli

Marcelo Sodelli

Temporalidade, Uso de drogas e Fenomenologia

O presente artigo tem o objetivo de compreender o fenômeno do uso de drogas a partir da singularidade da temporalidade humana possuindo como sustentação teórica a perspectiva filosófica do pensamento fenomenológico-hermenêutico de Martin Heidegger. Para tanto, iniciaremos esta investigação desenvolvendo uma breve introdução sobre a analítica existencial de Heidegger presente na obra Ser e tempo. Em seguida, abordaremos a relação do ser humano com as drogas buscando uma aproximação com a noção de temporalidade. Por fim, apresentaremos alguns desdobramentos em relação ao manejo clínico, ressaltando o fracasso da exclusividade da abstinência como o objetivo mais importante na clínica da dependência, meta esta defendida pela postura proibicionista.

Palavras-chave: Drogas; temporalidade; fenomenologia

Fonte: Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, 2019;8(2):35-52

[PDF]