Fenomenologia e raciocínio clínico em psiquiatria: o conceito de marcadores psicopatológicos

Gustavo Fernando Julião de Souza

Gustavo Fernando Julião de Souza

Fenomenologia e raciocínio clínico em psiquiatria: o conceito de marcadores psicopatológicos

O presente artigo corresponde ao produto final de múltiplas reflexões teóricas que se sucederam ao longo de quase vinte anos de supervisão de casos clínicos no ambulatório da Residência de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da UFMG e, também, no decorrer de longa prática clínica em outros ambulatórios, hospitais e consultório privado por mais de trinta anos de trabalho diário. Dessa maneira, o autor propõe a utilização de um método de investigação semiológica, denominado por ele de fenomenológico-dinâmico, resultando em um ‘constructo’ teórico – no qual a personalidade pré-mórbida é componente importante – capaz de viabilizar hipóteses diagnósticas que se mostrem acertadas, precisas e detalhadas na prática clínica. Para ilustrar a utilidade prática do método proposto, apresenta quatro casos clínicos nos quais o utiliza e estabelece os conceitos de “morbus” primário e secundário, filtro ou prisma caracterológico e marcadores psicopatológicos. Além disso, cita e revisa outros conceitos teóricos estabelecidos em artigos anteriores, tais como transtorno ou estado psicoide.

Palavras-chave: Fenomenologia; Personalidade pré-mórbida; Transtornos de Personalidade; Marcadores psicopatológics; Psicoses atípicas.

Fonte: Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, 2013, 2 (2), 3-31.

[PDF]