A existência fusional e o abuso de crack

Guilherme Peres Messas

Guilherme Peres Messas

A existência fusional e o abuso de crack

Este artigo investiga as condições de possibilidade existenciais de uma população de abusadores de crack no Brasil. O trabalho parte da descrição da essência do ato embriagante para identificar quais as situações antropológicas estruturais de risco para o abuso de crack. Defende que uma forma existencial típica, aqui denominada existência fusional, seja especialmente vulnerável ao efeito agudo e fugaz do crack. Essa vulnerabilidade se dá pela condição pré- reflexiva de predomínio do presente imediato em relação às outras dimensões da temporalidade. Examinando-se os trajetos pelos quais se desenvolve essa forma de existência, conclui-se que a essência da toxicomania pelo crack é um afunilamento gerado pela condensação de toda a existência em um ponto único de inserção no mundo, com a manutenção rígida de papeis identitários já constituídos e mesmo a exaltação dos perfis anteriores de significação coletiva, o que justifica os frequentes achados psicopatológicos desse grupo.

Palavras-chave: abuso de crack; existência fusional; essência da embriaguez; essência da toxicomania.

Fonte: Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, 2015, 4 (1), 124-140.

[PDF]