ESCOPO

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea, ISSN 2316-2449, é de responsabilidade da Sociedade Brasileira de Psicopatologia Fenômeno-Estrutural (SBPFE). É publicada semestralmente, com o objetivo de divulgar trabalhos orientados pela perspectiva fenomenológica em psicopatologia, psiquiatria e psicologia. Seu escopo compreende toda a amplitude do movimento fenomenológico, em suas vertentes estrutural, existencial, descritiva ou transcendental, bem como suas bases filosóficas. Seu alvo global é aprimorar e aprofundar o conhecimento, na esfera clínica, da existência humana em suas relações consigo mesmo, com o outro, com a temporalidade e a espacialidade. É um periódico de acesso aberto, publicado exclusivamente online.

POLÍTICA EDITORIAL

São aceitos trabalhos originais (inéditos) em Português, Inglês, Francês e Espanhol. Os estudos são avaliados em relação à originalidade, relevância e atualidade do tema, assim como à qualidade da pesquisa. Ao submeter um manuscrito, os autores garantem que o trabalho não foi publicado anteriormente e não está sendo analisado por outra revista. Em caso de publicação duplicada ou submissão simultânea a outro periódico, o artigo será desconsiderado e os autores poderão ser punidos.
Todos os manuscritos são avaliados pelos editores e, se aprovados, são encaminhados para análise do Conselho Editorial (peer review). No entanto, a decisão sobre a aprovação cabe aos editores. A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea adota o sistema double blind de avaliação, garantindo o anonimato de autores e consultores durante todo o processo de análise.
O conteúdo do manuscrito, as opiniões emitidas, assim como a veracidade das informações e das referências citadas é de responsabilidade exclusiva dos autores.

FLUXO EDITORIAL

Os manuscritos submetidos à avaliação devem atender todas as normas da revista, tanto no que se refere ao escopo, quanto à forma e apresentação do texto.
Inicialmente, os manuscritos são avaliados pelos editores quanto à adequação do artigo em relação às normas e à linha editorial da revista. Aqueles que não se adequarem serão rejeitados e os autores serão informados sobre os motivos da recusa. Os trabalhos aprovados pelos editores são enviados para apreciação do Conselho Editorial – pelo menos dois revisores especialistas na área (peer review) – para a emissão de pareceres técnicos. O editor poderá solicitar a contribuição de especialistas convidados, na qualidade de consultores ad hoc. Os revisores podem sugerir modificações, correções, solicitar esclarecimentos e fazer recomendações. Os comentários dos revisores serão encaminhados aos autores, para guiar a reestruturação do texto. Os autores podem enviar justificativas ou esclarecimentos sobre aspectos do manuscrito. A nova versão do artigo será encaminhada a nova rodada de avaliação pelos revisores. Este processo pode ser repetido algumas vezes, até que o manuscrito seja considerado adequado. A decisão sobre o aceite ou não do manuscrito será baseada nos pareceres dos revisores, consultores ad hoc e na análise dos editores. Os autores serão notificados por e-mail sobre o aceite, a rejeição ou sobre a necessidade de modificações no texto. Os autores dos artigos aceitos para publicação serão notificados e receberão instruções referentes aos procedimentos editoriais. Os editores reservam-se o direito de introduzir pequenas alterações no texto durante o processo de editoração, para efeitos de padronização. Os trabalhos em avaliação não poderão ser submetidos a outras publicações, até que recebam uma notificação sobre o aceite ou rejeição na revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea.

ASPECTOS ÉTICOS

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea segue as recomendações do International Committee of Medical Journal Editors (ICMJE) (www.icmje.org) em relação à autoria, conflitos de interesse e em relação a pesquisas envolvendo seres humanos.
O número de aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa, bem como a afirmação de que todos os sujeitos envolvidos (ou seus responsáveis) assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (Resolução MS/CNS/CNEP nº 466/12 de 12 de dezembro de 2012), no caso de pesquisas envolvendo seres humanos (assim como levantamentos de prontuários ou documentos de uma instituição), são obrigatórios e devem ser citados no texto.

TIPOS DE MANUSCRITOS

A revista Psicopatologia Fenomenológica Contemporânea publica os seguintes tipos de manuscritos:
Artigo original: destinado à reflexão psicológica, psicopatológica, filosófica, ensaística, ou ainda, à divulgação de ideias originais e inéditas. São aceitos, também, trabalhos empíricos de natureza diagnóstica ou clínica.
Artigo de revisão: é constituído de avaliação crítica e sistemática da literatura, de material publicado sobre um assunto específico e atualizações sobre o tema.
Comunicação breve: comunicação curta de pesquisa original, destinada a apresentar resultados preliminares.
Relato de caso: apresenta casos ou experiências com características singulares de interesse para a prática profissional, descrevendo seus aspectos, história, condutas, entre outros.
Resenha crítica de livro: análise crítica de livro publicado impresso ou online.
Carta ao editor: críticas a matérias publicadas, de maneira construtiva, objetiva e educativa ou discussões de assuntos específicos da atualidade.
Comunicação apresentada em evento: agrupa informações apresentadas e discutidas em eventos científicos da área.

ESTRUTURA DO MANUSCRITO

Os autores têm liberdade para definir o título das seções do manuscrito, desde que apresentem os seguintes itens: introdução sobre o tema, desenvolvimento e conclusão.

FORMATAÇÃO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO MANUSCRITO

Forma: o texto deve ser formatado em Microsoft Word, em papel tamanho ISO A4 (212x297mm)
Fonte: Times New Roman, tamanho 12
Alinhamento do texto: justificado
Espaçamento entre linhas: 1,5
Margem: 2,5 cm de cada lado
Recuos e espaçamentos: zero
Tabulação de parágrafo: 1,25 cm
Extensão máxima: 7000 palavras
Títulos: negrito, sem numeração. Devem ser sucintos e evitar uso de siglas.
Subtítulos: indicar hierarquia, quando houver, utilizando itálico. Não numerar.
Resumos: máximo 150 palavras
Descritores: mínimo 3, máximo 5
Citações no texto: devem ser nominais, apresentando nome do(s) autor(es) e o respectivo ano de publicação, de acordo com as recomendações da American Psychological Association (APA) (6ª edição, 2012).
Referências: devem ser apresentadas de acordo com as normas da American Psychological Association (APA) (6ª edição, 2012). Para verificar a adaptação das normas, clique aqui.
Figuras e tabelas: devem ser apresentadas no corpo do texto, em letra Times New Roman, tamanho 10. Incluir título sucinto e legenda, quando necessário. Devem ser criadas no Microsoft Word ou enviadas em formato passível de edição.
Anexos: são necessários à compreensão do texto. Podem ser apresentados como listas, protocolos, formulários, testes etc. Devem ser numerados sequencialmente, conforme a ordem de aparecimento no texto.
Abreviaturas e siglas: devem ser precedidas do nome completo quando citadas pela primeira vez no texto.
Notas de rodapé: quando houver, deve ser identificada com asterisco (*).
Financiamento: citar as instituições de fomento que tiverem fornecido auxílio e/ou financiamento para a execução da pesquisa, informando número de processos, quando for o caso.
Agradecimentos: incluem reconhecimento a pessoas ou instituições que colaboraram efetivamente com a execução da pesquisa.

APRESENTAÇÃO DO MANUSCRITO

A apresentação do manuscrito deve seguir o seguinte formato:
1. Folha de rosto identificada, contendo: título do trabalho em Português (ou no idioma original do estudo) e em Inglês; nome completo de cada autor com seu respectivo vínculo acadêmico/profissional e e-mail.
2. Folha de rosto não identificada, contendo:
– Título em Português (ou no idioma original do estudo) e em Inglês;
– Resumo em Português com, no máximo, 150 palavras, com palavras-chave (máximo 5);
– Resumo em Inglês (abstract), da mesma extensão que o resumo em Português, com as respectivas keywords;
– Texto propriamente dito, seguido das referências das obras citadas.

DOCUMENTOS SUPLEMENTARES

Junto com o manuscrito, deve ser enviada uma carta de permissão aos editores, assinada por todos os autores, informando a submissão do artigo, autorizando o processo editorial, garantindo que seja material original e inédito e que não esteja sendo avaliado em outra revista. Informar também, se há conflito de interesses.

ENCAMINHAMENTO DO MANUSCRITO

O manuscrito deverá ser encaminhado por e-mail para editor@revistapfc.com.br

Índice de Artigos